sexta-feira, 8 de maio de 2009

Extremos

“Precisamos conversar”. É, quando se chega a esse ponto alguma coisa no relacionamento não vai bem. Somos extremistas. Não aprendemos a lidar com as pequenas coisas. E quando se tornam extremas, aí vamos agir. Falo de relacionamentos. Já reparou quantas situações ruins poderiam ter sido evitadas se agíssemos quando começaram? Pois bem, é assim com quase todo mundo. Não queremos magoar, não queremos nos aborrecer e esperamos que a situação seja resolvida com o tempo, e é justamente aí que mora o perigo.

Lembro-me da história de um rapaz que foi preso pela polícia em um carro roubado. O pai, ao tomar conhecimento da prisão do filho, foi até a delegacia e para sua surpresa, foi recebido aos berros pelo rapaz, que o acusava de negligência, dizia o menino: - Vá embora, agora o senhor quer saber o que está acontecendo? Porque não procurou saber quando eu chegava em casa com dinheiro, com roupas de marca e com carros e motos. O senhor sempre fingiu que não via o óbvio.- Triste realidade. O pai procurava o relacionamento de reconhecimento em um momento delicado, onde as coisas eram mais difíceis.

E os casais que, com o passar dos anos, esquecem de namorar, de buscar algo diferente na pessoa que ama. Esquece os jantares, os momentos de intimidade. Não conversam. Fingem que não vêem algo que esteja fora da normalidade. Quando vem a crise, resultante desses deslizes, buscam desesperadamente o tempo perdido em situações extremas, que nem sempre solucionam.

Todo relacionamento tem seus altos e baixos. Somos sujeitos a chuvas e trovoadas. Mas se reconhecemos a nossa responsabilidade, nossas limitações e nossas pré-disposições, ficará clara a necessidade de agir antes que os frutos negativos atinjam os positivos. A questão é: Um espaço vazio será ocupado por algo, bom, fruto de uma ação preventiva. Ou mau, fruto da cegueira consciente. Hoje sou fruto do ontem, amanhã serei do hoje.

Ser humano não é receita de bolo, e não estou tentando dar uma receita de felicidade, o que quero passar, é que um ponto de equilíbrio pode salvar um relacionamento.

Você conversa com seu filho? Já bateu um papo descontraído com seu cônjuge? Procura saber o que está rolando em casa? Alguns assuntos são tabus e você não tem muito jeito pra falar? Calma, isso é normal. O que não é legal é permitir que o silêncio ocioso seja um referencial em seus relacionamentos. Saiba que a sabedoria vem de Deus. Ele é parceiro. Busca sempre um relacionamento de Paz conosco. Que tal reavaliarmos algumas questões e perguntar onde estamos deixando a desejar? O momento é oportuno. Hoje é um bom dia para mudar ou recomeçar. Então mãos à obra. O restante é colher os frutos. Dê amor e compreensão.

Um comentário:

  1. Olá tudo bem!
    Meu nome é Paulo Freitas sou responsavél pelo portal de música gospel (www.musikar.com.br) estou lhe convidando a fazer parte da nossa lista de parceiros e ajudar a divulgar o portal MUSIKAR, adicione nosso banner (pegue na nossa pagina inicial) e nos avise em seguida que adicionamos um link apontando para seu site em nossa lista de blogs parceiros.
    Parceria que ajudará ambas as partes!

    Desde Já agradeço pela sua atençâo.

    ResponderExcluir